De origem comunitária, o Centro Cultural Escrava Anastácia nasceu no morro, em uma comunidade de Florianópolis, com altos índices de violência e criminalidade, a partir do desejo de um grupo de mulheres, a maioria mães, que se organizaram para construir uma alternativa que oportunizasse a seus filhos o acesso à educação e os afastasse do mundo do tráfico de drogas e da criminalidadeCom o apoio de um grupo de professores, militantes de movimentos sociais e de um padre da comunidade-Padre Vilson Groh, todos voluntários, essas mulheres iniciaram um trabalho de transformação social na vida daquela comunidade e o esforço conjunto trouxe resultados.

Por ano o CCEA faz parte da vida de muitas pessoas

+ 1
Pessoas atendidas
+
Refeições servidas
+
Jovens inseridos no mundo do trabalho
Colaboradores
R$
Investimento médio mensal por beneficiário do serviço de aprendizagem - Jovem aprendiz
R$
Investimento médio mensal por por beneficiário do serviço de acolhimento (24 horas x 7 dias na semana)
R$
Investimento médio mensal por beneficiário do Rito de Passagem e Procurando Caminho